quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Francis e Olive Hime em Beijing


Setembro é um mês de comemorações no Brasil, por conta do Dia da Independência. E aqui na China não vai ser diferente. Pela primeira vez está sendo realizado o Mês da Cultura Brasileira na China, uma iniciativa do governo brasileiro, através da Embaixada do Brasil em Pequim, do Consulado-Geral em Xangai e do Consulado-Geral em Hong Kong.


Flyer do show.


Até o dia 29 de setembro, diversas atrações da cultura brasileira - como filmes, músicas e artes visuais - estarão sendo apresentadas nas cidades de Pequim, Xangai, Hong Kong e Macau.

A abertura do Mês da Cultura Brasileira na China foi realizada ontem à noite, com o show de Francis e Olívia Hime, aqui em Beijing.

Durante pouco mais de uma hora, o casal apresentou o show “Sem Mais Adeus”, uma viagem musical e sentimental à obra do poetinha Vinicius de Moraes, ícone da Bossa Nova que estaria completando 100 anos no dia 19 de outubro. Vinicius faleceu em julho de 1980.




Mas o show não contou somente com obras de Vinicius. No repertório de 28 músicas, o simpático casal apresentou sucessos de Ary Barroso, Tom Jobim, Dorival Caymmi, Baden Powell e até de Charles Chaplin, além de composições do próprio Francis Hime.


Repertório do show.


O carioca Francis Hime, que completou 74 anos no último dia 31 de agosto, é compositor, pianista, arranjador, cantor e maestro e fez parte do grupo que lançou a Bossa Nova, nos anos 60. Sua discografia incluiu 21 discos e três Dvds.

Francis Hime dividiu o palco com Olivia Hime, 70 anos, sua esposa desde 1969. Olívia, que também é natural do Rio de Janeiro, é cantora e letrista.

O show, “Sem Mais Adeus”, é o nome da primeira das muitas músicas que Francis Hime fez em parceria com Vinicius de Moraes, a partir de 1963.

Foi a primeira vez que o casal se apresentou na China.

Francis e Olivia Hime no palco.

As fotos não ficaram muito boas porque tirei com o celular.


Fiz questão que minhas filhas fossem ao show, para conhecer um pouco da beleza da música popular brasileira, em especial a Bossa Nova. Algumas músicas elas até já conheciam. E elas gostaram.


Gigi e o lindo painel de nossa linda Cidade Maravilhosa!


É bacana ouvir músicas como as que foram tocadas ontem. Músicas que têm letras e não um bando de palavras sem nexo, ou somente rimas, iguais as que ultimamente “inundam” a nossa MPB. Pode ser muito legal dançar “Ai se eu te pego”, de Michel Teló, mas é um “som” que só tem isso: balanço divertido.

Além da beleza das letras, como é bonito ouvir o som de um piano, ainda mais vindo de um artista do gabarito de Francis Hime. Foi mais um bom momento musical vivido aqui na China. Primeiro foi Elton John, outro fantástico pianista, e agora, direto do querido e saudoso Brasil, Francis Hime. “Chega de Saudade!”



Notinhas negativas

Alguém pode dizer que eu estou sempre elogiando isso e aquilo. Mas não é verdade. Sempre que não gosto de alguma coisa, eu falo. E ontem não foi diferente.

Foi muito chato o show não ter começado no horário marcado: 19:30. Por que os artistas brasileiros têm essa mania feia? Todos os shows que fomos aqui na China, até agora, sempre começaram na hora marcada. O de ontem começou com cerca de meia hora de atraso. Falta de respeito.

Francis e Olívia Hime conversaram com o público entre algumas músicas. Eles falavam em inglês e um tradutor passava para o chinês. Mas por que usaram o inglês? Não era um show brasileiro? Então por que não valorizamos nosso bom português? Nada contra a língua inglesa – falo, entendo e me viro bem dentro do possível. Mas Francis e Olivia poderiam ter falado em português e mantido a tradução em chinês, já que a maioria da plateia era composta por chineses. Até aí, tudo bem. Só que havia pessoas na plateia que não sabiam inglês. O pobre do tradutor foi um que ficou em maus lençóis. Ele tinha um texto nas mãos, pré-combinado, mas não entendia patavinas de inglês e não sabia onde terminava a fala do casal. Ficou todo enrolado. Ele era tradutor de chinês-português!

Até na hora de agradecer ao Embaixador do Brasil na China, Francis Hime se expressou em inglês. Como diria a colunista do jornal O Globo, Patrícia Kogut: “nota zero”.

Não sou nenhuma "expert" musical, mas Francis Hime canta bem desafinado. Acho que é algo típico de alguns cantores da Bossa Nova, como João Gilberto, Tom Jobim, Toquinho e o próprio Vinicius, só para citar alguns.

Por outro lado, a voz de Olivia Hime é estupenda!


Boas notícias

Esse ano o Brazil Film Festival, do Brapeq, Brasileiros na China, será realizado mais cedo. A 4ª edição do Festival acontece do dia 05 ao dia 08 de setembro, aqui em Beijing, e de 13 a 15, também de setembro, em Shanghai. É uma ótima oportunidade para assistir a alguns bons filmes nacionais. Estarei prestigiando o evento e depois conto aqui no blog como foi.





Um comentário:

  1. Oi mae, te amo muito e eu adoro o seu blog bjs tchau!

    ResponderExcluir